Voto no Partido Socialista é a melhor forma de se garantir ‘Mais Açores e Mais Portugal’

“Defender os Açores, deixando às gerações vindouras uma Região mais próspera, mais desenvolvida e mais sustentável, é o nosso compromisso à Assembleia da República, honrando, aliás, o património histórico do PS para com as Autonomias regionais”, afirmou esta sexta-feira a cabeça de lista do PS/Açores às Eleições Legislativas nacionais de 6 de outubro.

Isabel Almeida Rodrigues, que falava durante o Comício em Vila Franca do Campo, reforçou ainda ter sido com a Governação do PS na República, que o panorama político nacional mudou, sendo possível unir o país e devolver a confiança e a esperança aos Portugueses e aos Açorianos.

Cumprindo com os seus compromissos internacionais, Portugal é hoje um exemplo de estabilidade e de uma governação bem-sucedida e, também na Região, de Santa Maria ao Corvo, a candidata socialista assumiu não deixar ficar ninguém para trás, ao contrário de outros que se ficam apenas pelo discurso.

“Apresentamo-nos a estas eleições com orgulho na obra feita nos últimos quatro anos e no património político que largos milhares de Açorianos ajudaram o PS a inscrever na sua história”, afirmou a candidata socialista. Da Educação ao Serviço Nacional de Saúde, passando por um serviço de segurança social universal são algumas das marcas do Partido Socialista, que inclui ainda a implementação das Autonomias regionais que ganharam uma nova expressão com a Lei de Finanças Regionais.

Com um conjunto muito concreto de propostas que pretendem defender  e concretizar na Assembleia da República nos próximos quatro anos, Isabel Almeida Rodrigues destacou, desde logo, a alteração da Lei de Bases da Política de Ordenamento e de Gestão do Espaço Marítimo Nacional, “por forma a fortalecer os poderes de intervenção da Região na gestão e exploração do Mar dos Açores”, bem como a criação de um Círculo Eleitoral dos Açores para o Parlamento Europeu e a criação do Conselho de Concertação com as Autonomias regionais, “o qual poderá ser decisivo para uma melhor articulação e coordenação de políticas que entrecruzam competências do Estado e da Região”.

A candidata do PS/Açores acrescentou ainda, no âmbito da Agenda 2030, os projetos que constam do Plano Nacional de Investimentos, nomeadamente os investimentos indispensáveis em infraestruturas no domínio dos portos e aeroportos bem como no domínio da conectividade das redes de fibra ótica. Além do mais, “propostas como a necessidade do reforço da Política de Coesão e, no âmbito da Política Agrícola Comum, do reforço do POSEI, o que, mais do que uma simples reivindicação, é um caso de fazer justiça aos homens e mulheres que são responsáveis por uma grande parte do nosso setor produtivo”.

“Estas eleições são muito importantes para o País e para os Açores. Não podemos voltar à imprevisibilidade, à indefinição, ao adiamento do País. Esta é uma oportunidade para seguir em frente, para fazer o que é preciso ser feito, para investir nas pessoas e investir no futuro do País e dos Açores, uma oportunidade para termos Mais Açores e Mais Portugal”, acrescentou a candidata do PS/Açores às Eleições Legislativas nacionais do próximo dia 6 de outubro.