Vasco Paulos defende que o PS é o Partido mais capaz de continuar a garantir melhores acessibilidades no Pico

Vasco Paulos lembra o trabalho feito pelo Partido Socialista em termos de acessibilidades, defende que “o PS é o Partido mais capaz de continuar a garantir melhores acessibilidades de e para a ilha do Pico” e condena o “apagão histórico” que o PSD pretende fazer.

O candidato do PS/Açores à Assembleia da República recorda: “Se houve partido que criou obstáculos e constrangimentos ao desenvolvimento económico da Ilha do Pico, esse partido foi o PSD que, a nível das acessibilidades aéreas nos manteve durante décadas impedidos de ter ligações para o exterior e a nível das infraestruturas, nomeadamente no aeroporto, nada fez”.

Vasco Paulos realça que “o aumento da pista do aeroporto do Pico, que permite as ligações de e para o exterior da Ilha foi feito pelos Governos do PS, contra a vontade de notáveis do PSD que entendiam não ser necessário fazer tal investimento”.

Sobre a rota Lisboa/Pico, o candidato socialista, lembra que “a TAP abandonou essa ligação, em 2014, aquando da privatização da companhia, levada a cabo pelo Governo da República do PSD que assim, deixou ao abandono os Picarotos e os Faialenses”.

Vasco Paulos garante que “o PS ambiciona muito mais para a ilha do Pico”, mas valoriza o crescimento que já foi alcançado e que pode ser comprovado pelas estatísticas: Em 2018 a SATA transportou mais de 136 mil passageiros de e para o Pico, o que representa um aumento de mais de 78,7%, comparativamente a 2014; Nos voos territoriais o aumento foi mais de 105% entre 2014 (67) e 2018 (138). Em 2014 o total de dormidas na Ilha do Pico foi de 67 mil e em 2018 foi de 148 mil, ou seja, houve um crescimento de mais de 121%.

Para o candidato às eleições do próximo dia 6 de outubro, “todos queremos sempre mais, até para corresponder à dinâmica dos nossos empresários e do potencial turístico de que a ilha dispõe, mas os números atingidos são bem demonstrativos do quanto a SATA tem sido um parceiro fundamental para o desenvolvimento económico da Ilha do Pico e dos Açores, promovendo a coesão Regional entre todos os Açorianos e todas as Ilhas”.