Só um Governo PS vai garantir a mobilidade dos Açorianos e a solidariedade para com a nossa Região

“Ao longo dos últimos quatro anos tivemos uma visão da Autonomia que contrasta com a visão do PSD, quer a nível nacional, quando considera que os Açores não são fortuna nenhuma, quer a nível regional, quando defendem alterações ao modelo do subsídio social de mobilidade que na prática ferem de morte a liberalização tal como a conhecemos”, afirmou esta segunda-feira a cabeça de lista do PS/Açores às Eleições Legislativas nacionais do próximo dia 6 de outubro.

Isabel Almeida Rodrigues, que falava durante a Sessão Pública que decorreu na cidade de Lagoa, lembrou, a este propósito, que o que o PSD pretende é que o subsídio passe a ser entregue às companhas aéreas, traduzindo-se na inversão do atual modelo. “Isto é, não só o contrário do que defende a Câmara de Comércio como, inclusivamente, é contra aquilo que o próprio PSD defendia. Aliás, o próprio Dr. Mário Fortuna referiu a propósito de uma alteração, na Madeira, idêntica à que o PSD propõe para os Açores: ‘o meu receio principal é, se isto for implementado, que a Ryanair não adira a esta solução e, no limite, decida ir embora porque a rota a funcionar assim não é competitiva’”

Para a candidata socialista, “hoje também não sabemos o que pensa o PSD sobre esta matéria, nem se fez as contas certas, porque ao referir que antes pagavam 300 € por uma passagem para os Açores é preciso dizer que esses 300 € não tinham reembolso”, contrastando com os 134 € que pagam hoje os residentes ou com os 99 € que pagam os estudantes.

“Ao contrário de outros, o Partido Socialista não tem medo de assumir quando há coisas que não estão exatamente como nós queríamos, daí continuarmos a defender que o modelo precisa de ser aperfeiçoado”, considerou Isabel Almeida Rodrigues, recordando ainda que “há um grupo de trabalho que está, como é público, a analisar o modelo atual e os seus resultados, de modo a que o seja possível melhorar sem colocar em causa as vantagens que a sua implementação trouxe para a mobilidade dos Açorianos”.

Para Isabel Almeida Rodrigues, também a solidariedade nacional que conhecemos ao longo dos últimos quatro anos, para com a Região, contrasta profundamente com o tratamento do anterior governo do PSD/CDS, quando “há uns anos atrás, em situações de calamidade precisámos de ajuda, ela foi-nos negada”, contrastando agora, a propósito da passagem do furacão Lorenzo que poderá afetar as ilhas dos Açores, com a decisão do atual Primeiro-ministro que “alterou a sua agenda, estando disponível para se deslocar imediatamente para a Região, e isso faz toda a diferença”.

“É por aquilo que falta fazer que nos apresentamos perante vós. Mas, para que o possamos fazer é preciso dar uma grande vitória ao Partido Socialista no próximo dia 6 de outubro, para que possamos continuar a viver melhor na Região e no País e a contar com um governo solidário para com as Regiões Autónomas”, acrescentou a cabeça de lista do PS/Açores às Eleições Legislativas nacionais.