Governo do PS continuará a garantir que os progressos no setor da saúde vão beneficiar os Açorianos

“Demos passos importantes para os Açores, ao longo desta legislatura, na área da saúde”, afirmou Lara Martinho esta segunda-feira, à margem da visita efetuada à Liga dos Amigos dos Doentes dos Açores, em Angra do Heroísmo.

A candidata do PS/Açores às eleições legislativas do 06 de outubro, referiu “o fim da discriminação dos açorianos no acesso a cuidados médicos prestados no continente, introduzindo o princípio da reciprocidade e complementaridade entre o Serviço Nacional de Saúde e o Serviço Regional de Saúde.”

Lara Martinho frisou o apoio à deslocação das grávidas nos Açores, “através da apresentação na Assembleia da República de um projeto-lei para apoiar as grávidas dos Açores e da Madeira que precisem de se deslocar a outra ilha ou ao continente, de modo a que não sejam penalizadas na sua licença de parentalidade.”

“Nas situações em que a grávida necessite deslocar-se a unidade hospitalar localizada fora da sua ilha de residência para a realização do parto, por indisponibilidade de recursos técnicos e humanos na ilha de residência, a grávida tem direito a licença, pelo período de tempo que, por prescrição médica, for considerado necessário e adequado à deslocação para aquele fim, sem prejuízo da licença parental inicial”, explicou a candidata socialista.

“Fica ainda salvaguardada a falta justificada motivada pelo acompanhamento de grávida que se desloque a unidade hospitalar localizada fora da ilha de residência para a realização de um parto, protegendo assim quem acompanha a grávida. A iniciativa também prevê proteção parental no caso de internamento do bebé,” recordou ainda Lara Martinho.

Para a atual deputada à Assembleia da República, “a criação do estatuto do cuidador informal, aprovado a nível nacional e regional, foi outra conquista da atual legislatura, em prol dos açorianos e dos portugueses que prestam assistência a familiares dependentes.”

A LADA-Liga dos Amigos dos Doentes dos Açores foi criada em 1996 “com o objetivo principal de apoiar os doentes deslocados, prestando apoio financeiro, marcação de alojamento, acompanhamento através de voluntários e visitas aos hospitais”, disse Lara Martinho, lembrando que “esta Instituição Particular de Solidariedade Social, ajuda, igualmente, doentes carenciados e doentes internados ou em tratamento.”