“É fundamental que a medicina no trabalho abranja mesmo todos os trabalhadores portugueses na Base das Lajes”, afirma Lara Martinho

“É fundamental que a medicina no trabalho abranja todos os trabalhadores portugueses na Base das Lajes e não apenas os de alto risco”, disse Lara Martinho esta quinta-feira, à margem da reunião com a Comissão Representativa dos Trabalhadores das FEUSAÇORES.

“A defesa dos postos e das condições de trabalho dos trabalhadores Portugueses na Base das Lajes, a par da descontaminação, têm sido a nossa principal prioridade no âmbito do dossier das Lajes”, recordou a candidata do PS/Açores às eleições legislativas de 06 de outubro.

Lara Martinho explicou que “no seguimento da reunião de 2 de abril com a CRT, estabelecemos vários contactos com o Ministério da Defesa Nacional e com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, nomeadamente no âmbito da audição dedicada à Comissão Bilateral Permanente e, por último, num encontro com o Embaixador dos EUA, George Glass”.

“Entretanto, e apesar de uma evolução positiva, com a abertura de uma vaga de técnico de saúde ocupacional para suprir a falta da implementação de uma política de Higiene e Segurança no Trabalho que abranja todos os trabalhadores portugueses da Base, veio a verificar-se que estão apenas abrangidos os trabalhadores de alto risco”, esclareceu Lara Martinho.

“Tenho acompanhado muito de perto a problemática da aplicação da medicina no trabalho aos trabalhadores portugueses na Base das Lajes e temos vindo a afirmar que o que estes trabalhadores exigem é apenas o cumprimento da lei”, afirmou a candidata socialista.

Para a atual deputada à Assembleia da República, “existem outros pontos que merecem especial atenção, como a aplicação dos direitos de parentalidade e a revisão das tabelas salariais, dado que o salário mais baixo é inferior ao Salário Mínimo Nacional”.

“Felizmente foram dados passos positivos na questão do reconhecimento das qualificações”, avançou Lara Martinho, adiantando que “temos, por isso, de continuar a reforçar estas matérias junto do Estado Português, sendo fundamental garantir que são cumpridos todos os direitos dos trabalhadores portugueses na Base das Lajes.”